Otoplastia: confira 4 dúvidas sobre a cirurgia

Atualizado: 10 de Out de 2018



A palavra otoplastia, a princípio, pode parecer estranha, mas sua origem é muito simples. Oto- vem do grego oûs ou otós, que significa ouvido, a mesma origem de otite (infecção no ouvido) e otorrinolaringologia (especialidade médica). Já -plastia vem de plástica, também derivada do grego plastiké.


Otoplastia, portanto, é a cirurgia plástica realizada nas orelhas, com a finalidade de corrigir imperfeições, proporcionando uma melhoria estética. Mas a origem do termo não é a única dúvida que se tem sobre o assunto.


Quer entender um pouco mais sobre a otoplastia? Então veja abaixo as respostas para os questionamentos mais comuns sobre o procedimento.


1 – Quem pode fazer a cirurgia?

A otoplastia pode ser feita em crianças ou adultos e não é um procedimento complexo. A recomendação é que o paciente tenha no mínimo sete anos de idade, pois, nessa fase, o desenvolvimento das orelhas já está completo.


Não devem fazer a cirurgia pessoas que estejam com infecção nos ouvidos ou em outros lugares do corpo, nem que tenham hipertensão e diabetes mal controladas. É sempre bom consultar o médico responsável.


2 – Em quais casos ela é mais indicada?

A indicação vai depender da avaliação médica. A otoplastia pode ser feita para corrigir as chamadas orelhas em abano (proeminentes), bem como malformações congênitas ou causadas por trauma.


As pessoas que optam por fazer o procedimento para corrigir orelhas em abano normalmente são motivadas por um profundo incômodo que vai além da estética, passando por questões emocionais, de autoestima e impacto na vida social.


Tudo isso é avaliado pelo médico, que vai levar em consideração o grau do abano e o incômodo relatado pelo paciente, com o objetivo de orientá-lo e esclarecer todas as suas dúvidas para que ele possa tomar sua decisão final.




3 – Por que a otoplastia não é feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou por convênio?

A otoplastia é considerada uma cirurgia com fins estéticos, por isso o SUS e os convênios de saúde não cobrem. É possível solicitar o procedimento pelo Sistema Único de Saúde, porém esse costuma ser um processo longo, com filas de espera que podem levar anos.


4 – Qual é a facilidade financeira e operacional do Projeto Orelhinha?

Como de forma geral a otoplastia é realizada somente em clínicas particulares, seu custo costuma ser alto. O Projeto Orelhinha foi criado, em 2010, justamente para tornar o procedimento mais acessível à população em geral. 


Para fazer a otoplastia pelo projeto, basta cadastrar-se no site e aguardar o e-mail para a palestra de orientação na sua cidade. A participação nesse encontro é obrigatória para quem quer realizar o procedimento.


Independentemente da realização de cirurgias para mudar alguma característica física que deixe o descontente, o mais importante é que você esteja de bem com o seu corpo e consigo mesmo. Afinal, a autoestima é um fator fundamental para a qualidade de vida.

Gostou do nosso artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a tirarem suas dúvidas sobre a Otoplastia.

Responsável técnico 

Dr. Marcelo S. Assis

CRM / SP 93.498

RQE : 22.824

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram

© 2015 por Projeto Orelhinha.

Todos os direitos reservados

www.projetoorelhinha.com.br